Tratados

“Mega Prós e Contras” sobre a Europa e os seus muçulmanos

O Público de hoje traz mais uma excelente reportagem de Alexandra Lucas Coelho, desta feita relativa a um mega-debate ocorrido em Londres sobre o tema da presença muçulmana na Europa. Como refere a Alexandra, foi uma espécie de “mega Prós e Contras”, em que, num Teatro londrino, perante 800 pessoas, Tariq Ramadan e Petra Stienan, por um lado (a favor), e Douglas Murray e Flemming Rose, por outro (contra), debateram a moção “A Europa está a deixar ficar mal os seus muçulmanos” (Europe is failing its Muslims).

Após o debate, que se baseou em argumentos que podem ser aferidos na notícia e neste post de Martin Rose, do British Council, a tendência inicial da votação alterou-se e a moção foi rejeitada – tanto devido à má formulação da pergunta (que, no fundo, generaliza os muçulmanos, colocando-os todos ao mesmo nível) como à capacidade retórica de Murray, como ainda, eventualmente, à própria força dos argumentos utilizados.

Do ponto de vista analítico, a votação vale pouco, naturalmente, mas é interessante questionar se o resultado obtido seria igual se o debate fosse noutros países. Em todo o caso, do ponto de vista social, é uma boa iniciativa que gerou uma discussão com um tom progressivamente pacificador – ainda que o formato adoptado fosse dado a populismos. Não se pode ter medo do debate, e conhecer os argumentos de quem discorda da nossa opinião é sempre um bom caminho para formar uma opinião mais fundamentada.

Foto: Site do Projecto Our Shared Europe, do British Council.

Anúncios

Fevereiro 28, 2010 Posted by | 1 | | Deixe um comentário

Mossad no Dubai, ou “amigos, amigos, segurança à parte”

Como de costume, Der Spiegel apresenta a mais completa e interessante versão acerca do assassinato selectivo de Mahmud al-Mahbouh, dirigente do Hamas morto no Dubai por uma equipa de agentes da Mossad. Para além da descrição minunciosa de todos os passos dos agentes, e do desenrolar do processo de tomada de decisão antes de cada operação da secreta israelita, o artigo coloca muitas questões interessantes. Para além da perplexidade óbvia pela utilização descarada de passaportes de países com os quais Israel mantém excelentes relações diplomáticas (Reino Unido, Irlanda, França, Estados Unidos e Austrália), é interessante verificar que este assassinato surge num momento em que o Bundesnachrichtendienst,  serviços secretos alemães, está envolvido numa negociação entre israelitas e palestinianos tendo em vista uma troca de prisioneiros (entre os quais, presumivelmente, se encontra Gilad Shalit). Esta acção no Dubai demonstra, se necessário fosse, que quando surge alguma núvem de ameaça  à segurança de Israel, tudo o resto fica para trás. E quando digo tudo, é mesmo tudo.

Mas a questão principal neste caso talvez seja o roubo de identidades de cidadãos israelitas: alguns dos agentes entraram no Dubai usando passaportes de cidadãos israelitas, colocando em causa a sua reputação, o seu bom-nome e, em última instância, a sua própria segurança. Trata-se de uma contradição difícil de perceber, que faz levantar um outro conjunto de questões. Terá esta sido uma acção de agentes duplos eventualmente ao serviço de outros serviços secretos, destinada a responsabilizar a Mossad? Seria o dirigente do Hamas um alvo tão precioso que justificou todos os riscos corridos nesta operação (incluindo a invitabilidade de os agentes serem identificados pelas câmaras de videovigilância no hotel)? Ou tratar-se-á “apenas” de um grave falhanço dos serviços secretos israelitas, que se deve juntar a vários outros surgidos ao longo das últimas décadas? De qualquer forma, por muito que algumas destas questões possam nunca vir a encontrar resposta (pelo menos para o exterior), é um assunto que vale a pena continuar a acompanhar. 

Fevereiro 27, 2010 Posted by | 1 | , , , | 3 comentários

Ladies, watch out

De acordo com fontes dos serviços secretos norte-americanos, citadas pela Fox News, mulheres ocidentais e anglófonas poderão integrar o perfil ideal procurado pela Al-Qaeda para desenvolver os próximos atentados. Cuidado com os sedutores…

Qualquer pessoa que se possa integrar e não suscitar suspeitas é desejada pela rede terrorista”, diz fonte oficial. As próximas ondas de ataques terroristas podem incluir mulheres ocidentais, possivelmente do Canadá, com documentos forjados. E esta pode ser vista como uma evolução da estratégia da al-Qaeda, após o atentado falhado no Natal, acrescenta.
Segundo essas mesmas fontes, no Iemén essa recruta já terá mesmo começado, recaíndo a preferência em mulheres, com aspecto ocidental, que possam assim passar mais desapercebidas pelos controlos de segurança. O girl power chegou para ficar.

Imagem do filme “Attack of the 50 ft Woman”, de 1958.

 

Fevereiro 24, 2010 Posted by | 1 | | 2 comentários

Cooperação Portugal-Espanha em contraterrorismo

Hoje é dado mais um passo para o reforço da cooperação bilateral entre Portugal e Espanha na luta contra o terrorismo, através da assinatura de um memorando de entendimento que inclui a criação de um grupo de cooperação policial para troca de informações. É verdade que as recentes descobertas acerca da presença da ETA em Portugal trouxeram visibilidade a este processo, mas os factores que justificam esta cooperação vão muito para além da luta basca. É por isso que os termos deste entendimento estão concluídos há vários meses, e, segundo a Lusa, apenas o acidente de viação do coordenador das polícias Mário Mendes, na Avenida da Liberdade, fez adiar a sua assinatura.

Fevereiro 23, 2010 Posted by | 1 | , , | Deixe um comentário

Portugal Conta

Após Vitor Constâncio ter sido nomeado Vice-Presidente do BCE, a mais que provável nomeação de João Vale de Almeida para Embaixador da UE em Washington pode não ser propriamente uma boa notícia para Portugal à primeira vista – uma vez que daí não advirá nada de particulamente útil especificamente para o nosso país – mas é mais um reflexo da boa diplomacia portuguesa. Mais ainda: é mais um reflexo de que a diplomacia portuguesa está no bom caminho – aliás, no único caminho.

A participação plena nas actividades e nas políticas europeias, o esforço por acompanhar ab initio cooperações estruturadas como o euro ou o Espaço Schengen, e o brio em desempenhar bem as funções que nos cabem nas dinâmicas comunitárias (sobretudo presidências rotativas mas também muitos cargos em Bruxelas) são o único caminho para o nosso país manter a sua capacidade de influência, de, até certo ponto, moldar decisões no sentido dos seus interesses e do seu pensamento e objectivos estratégicos. É por isso que Portugal participa em tantas missões internacionais, tanto da NATO como da UE. É por isso que tenta estar em cargos importantes em Bruxelas. É que, hoje em dia, essa é a medida do poder de um país como o nosso. Não julgo que se trate de nos pormos em bicos-de-pés ou de sobrevalorizar determinados cargos. É verdade que o facto de serem desempenhados por portugueses não traz benefícios directos e imediatos no dia-a-dia dos portugueses. Mas se o nosso espectro de análise for além do espaço nacional, se olharmos para Portugal de fora para dentro (o que, por vezes, é extremamente útil), então devemos assumir os sucessos da nossa diplomacia como importantes sucessos nacionais. E este é um deles.

Publicado ontem n’A Regra do Jogo.

Fevereiro 18, 2010 Posted by | 1 | Deixe um comentário

Toque de Midas do avesso

No dia seguinte a ter colocado um post n’A Regra do Jogo, o blog parece ter terminado. Como se dizia na RFM: já agora, vale a pena pensar nisto.

Fevereiro 18, 2010 Posted by | 1 | 1 Comentário

“A Regra do Jogo”

A partir de hoje, escrevo também no blog colectivo “A Regra do Jogo“. Apesar de os meus posts naquele espaço serem também, sobretudo, sobre política internacional, este blog manter-se-á plenamente activo.

Fevereiro 17, 2010 Posted by | 1 | Deixe um comentário

Santa Casa da Misericórdia de Bruxelas

São estes os custos da global actorness da União Europeia? É assim que se pretende ganhar força diplomática que permita influenciar o desenvolvimento das negociações de paz israelo-palestinianas?

EU contributes to Palestinian salaries with €21 million

The EU has provided €21 million to help the Palestinian Authority pay the salaries and pensions of over 80,000 Palestinian civil servants and pensioners.

A delegation press release said on 4 February this contribution had been channeled through PEGASE, the European mechanism for support to the Palestinians and was part of a recent allocation of €158 million from the European Union in direct support to the Palestinian Authority budget of 2010 to help ensure the continued delivery of essential public services

Fevereiro 8, 2010 Posted by | 1 | , | Deixe um comentário

1500

Mais um “afinal”: “Afinal” não eram 500 kg  de explosivos, mas antes 1500, para montar uma verdadeira fábrica de explosivos da ETA em Portugal.

As autoridades portuguesas encontraram cerca de 1.500 quilos de explosivos na vivenda que alegadamente servia de base à ETA nos arredores de Óbidos, bem como mapas de Madrid, Cádiz e da localidade de San Fernando, informou o Governo espanhol. 

Segundo o Ministério do Interior, foram igualmente encontrados documentos e material informático que ainda estão a ser analisados, mas que permitiram identificar Andoni Cengotitabengoa Fernández e Oier Gómez Mielgo como os dois alegados etarras que ocupavam a casa.

Verifica-se que a presença da ETA em Portugal era uma realidade bem consolidada, a caminho de adquirir uma dimensão difícil de calcular. A importância desta descoberta deve aferir-se tendo em conta o que representa agora mas, sobretudo, o que poderá representar para o futuro. E, como tantas vezes acontece, foi um acaso que levou ao desmantelamento deste refúgio etarra – o acaso enquanto forma comum e eficaz de contra-terrorismo. 

Fevereiro 7, 2010 Posted by | 1 | , , | Deixe um comentário

Agora já não há dúvidas

Após a detenção de um casal de etarras em Trás-os-Montes há umas semanas atrás, a descoberta da casa  de Óbidos faz com a presença da ETA em Portugal seja agora uma realidade incontornável. O El País traz mais informação que a maioria dos jornais portugueses, por isso vale a pena ler o artigo “ETA escondia 500 kilos de explosivos en la base descubierta hoy”. Se a cooperação policial entre Portugal e Espanha era já uma realidade, a partir de agora sê-lo-á ainda mais, o momento em que a PJ, pela primeira vez, fala em terrorismo.

Fevereiro 6, 2010 Posted by | 1 | , , | Deixe um comentário

   

%d bloggers like this: