Tratados

Coreias às avessas

O ataque sofrido por uma embarcação militar sul-coreana por parte de Pyongyang veio trazer para o topo da actualidade internacional a tensão existente entre ambos os lados da península. Ainda que os holofotes estejam concentrados, por norma, noutras latitudes, a importância estratégica desta região é fundamental ao ponto de haver, hoje, cerca de 28 5oo soldados norte-americanos estacionados na Coreia do Sul.

O Financial Times de ontem avança com um conjunto de seis possíveis explicações para este ataque, o que, em conjugação com a opinião de Bernardo Pires de Lima na TVI 24 e o artigo em O Diplomata, nos permite uma visão sobre  que eventualmente terá sucedido. De acordo com o FT, são seis as possíveis razões para esta acção surpreendente:

1) Vingança – pela batalha naval ocorrida em Novembro e que danificou seriamente um dos navios da Coreia do Norte;

2) Vontade de amenizar a sucessão – ao que tudo indica, Kim Jong-il está agora num processo de transferência de poder para o seu terceiro filho, Kim Jong-eun;

3) Luta interna pelo poder – o ataque poderá ter sido ordenado à revelia do “querido líder”, por um qualquer comando que pretenda marcar posição neste período de sucessão;

4) Quebra da cadeia de comando – Kim Jong-il poderá não estar com as suas capacidades a funcionar em pleno, sobretudo devido ao AVC que sofreu em 2008, e por isso o ataque poderá resultar ou de uma ordem de um outro comandante ou de um erro de julgamento do próprio líder;

5) Regresso ao domínio dos “falcões” – após um período em que se sentiu o domínio da ala mais liberal dos conselheiros, a crise internacional poderá ter aberto o flanco ao ressurgimento da ala mais radical, herdeira do pensamento da Guerra Fria;

6) Distracção de problemas internos – os serviços secretos de Seoul acreditam que esta acção poderá servir como manobra de distracção dos problemas económicos internos;

A estas, a edição online acrescenta uma outra (diria que um pouco mais rebuscada…):

7) Revolta pela Cimeira do G-20 em Seoul – a Coreia do Norte nunca aceitou de bom grado a realização, do lado de lá da fronteira, de grandes eventos internacionais, tais como os Jogos Olimpicos e o Campeonato do Mundo. 

Imagem: Washington Post

Maio 27, 2010 - Posted by | Sem categorias | ,

Ainda sem comentários.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: