Tratados

Fundamentalismo omnipresente

Em fim-de-semana de Páscoa e de Pessach, o Expresso traz uma entrevista com Terry Jones, o pastor fundamentalista cristão norte-americano que, em 20 de Março, promoveu um “julgamento” do Corão que terminou com uma sentença não passível de recurso para instâncias superiores: fogo nele. Deduziu três acusações, pôs online as quatro penas possíveis, e a maioria do colectivo de internautas optou pela queima do Livro. Terry Jones likes this. Manifestações extremas de protesto no Afeganistão resultaram na morte de 12 funcionários da ONU. Neste mundo de irracionalidade, Terry Jones tinha programado manifestar-se armado em frente ao maior centro islâmico norte-americano, em Detroit, na passada sexta-feira. Foi impedido pela polícia, detido, condenado a manter-se afastado daquele centro nos próximos três anos e libertado após pagamento de fiança.

Na entrevista conduzida por Ricardo Lourenço, destaca-se uma pergunta. “A 20 de março queimou um Corão. Houve manifestações no Afeganistão e foram mortos 12 funcionários da ONU. Para quê?”

Anúncios

Abril 24, 2011 Posted by | Sem categoria | Deixe um comentário

   

%d bloggers like this: