Tratados

Mais 500

Em Kandahar, cerca de 500 militantes taliban escaparam de uma prisão por um túnel de 350 metros de comprimento. Juntar-se-ão aos bandos que atacam as forças internacionais presentes na região, que atacam grupos tribais não alinhados com o seu islamismo extremo, que atacam população civil para punir, intimidar ou apenas para servir como exemplo. A geografia, o clima, a história, o passado e o presente impedem qualquer futuro que não seja de desgraça irremediável.

Fugiram 500 militantes da prisão. Mais meio milhar de soldados empenhados em manter o Afeganistão aquele lugar onde até Deus choraria.

Anúncios

Abril 25, 2011 Posted by | Sem categoria | , , | Deixe um comentário

Fundamentalismo omnipresente

Em fim-de-semana de Páscoa e de Pessach, o Expresso traz uma entrevista com Terry Jones, o pastor fundamentalista cristão norte-americano que, em 20 de Março, promoveu um “julgamento” do Corão que terminou com uma sentença não passível de recurso para instâncias superiores: fogo nele. Deduziu três acusações, pôs online as quatro penas possíveis, e a maioria do colectivo de internautas optou pela queima do Livro. Terry Jones likes this. Manifestações extremas de protesto no Afeganistão resultaram na morte de 12 funcionários da ONU. Neste mundo de irracionalidade, Terry Jones tinha programado manifestar-se armado em frente ao maior centro islâmico norte-americano, em Detroit, na passada sexta-feira. Foi impedido pela polícia, detido, condenado a manter-se afastado daquele centro nos próximos três anos e libertado após pagamento de fiança.

Na entrevista conduzida por Ricardo Lourenço, destaca-se uma pergunta. “A 20 de março queimou um Corão. Houve manifestações no Afeganistão e foram mortos 12 funcionários da ONU. Para quê?”

Abril 24, 2011 Posted by | Sem categoria | Deixe um comentário

Relativismos

Apesar dos pesares, nem tudo é caro. O Público, por exemplo, não é caro. Paga-se um euro pela crónica do Miguel Esteves Cardoso e oferecem um jornal completo. Costuma é trazer erros ortográficos e erros de concordância – é esse o tal preço que se paga, se não o Público era de borla.

Abril 21, 2011 Posted by | Sem categoria | Deixe um comentário

Um resgate financeiro desnecessário?

Imagem da autoria de João Fazenda para o NYT

Em artigo publicado ontem no New York Times, Robert Fishman aborda a situação financeira actual em Portugal, defendendo que se trata de uma situação criada sobretudo por forças extrínsecas. Mais do que resultado de políticas públicas ou de gestão das economias das famílias e das empresas, o cenário que se vive hoje foi criado, segundo o autor, sobretudo por especuladores, agências financeiras e dinâmicas dos mercados financeiros internacionais. Ainda que não concorde com muitas das premissas defendidas no artigo, há uma questão incontornável que tem de ser discutida: as agências de rating e outras dinâmicas dos mercados financeiros internacionais estão claramente super-valorizados. Também por isso a leitura de Portugal’s Unnecessary Baillot é importante.

 

Excerto

Portugal’s difficulties admittedly resemble those of Greece and Ireland: for all three countries, adoption of the euro a decade ago meant they had to cede control over their monetary policy, and a sudden increase in the risk premiums that bond markets assigned to their sovereign debt was the immediate trigger for the bailout requests.

But in Greece and Ireland the verdict of the markets reflected deep and easily identifiable economic problems. Portugal’s crisis is thoroughly different; there was not a genuine underlying crisis. The economic institutions and policies in Portugal that some financial analysts see as hopelessly flawed had achieved notable successes before this Iberian nation of 10 million was subjected to successive waves of attack by bond traders.

Abril 13, 2011 Posted by | Sem categoria | Deixe um comentário

   

%d bloggers like this: